sexta-feira, 21 de julho de 2017

Estância Substanciada



Quero olhar-Te. E ao olhar-Te, aprender-Te. E apreender-Te. Quero decorar os Teu trejeitos quando Te mando começar. E degustar a Tua frustração quando Te mando parar. Quero ver como arqueias as costas e ergues o queixo, expondo o Teu pescoço como uma virgem pálida de um romance de Stoker. Quero beber-Te enquanto engoles ar como se Te estivesses a afogar. Quero que Te ofereças, sem meças, sem pressas, sem uma dessas minhas ordens expressas. Quero o Teu subconsciente, porque “Sub” é o nome da estrada da jornada.
Submergida. Subvertida. Submetida. Subjugada. Sublinhada. Sublimada!

4 comentários:

  1. Há muito que te sigo em silêncio, tendo ficado com uma espécie de sensação de vazio quando desapareceste das publicações neste blogue em 2016. Esta semana servi-me das tuas publicações como se fossem uma intravenosa. Estás cada vez mais refinado ao reflectir nas palavras emoção, tesão, dedicação e excitação. Não só fazes com que ela se sinta especial, como também fazes suspirar quem te lê. E eu suspiro tanto, por ti.

    Beijo <3

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bem-vinda e obrigado pelo carinho, bem como pela simpatia das tuas palavras!

      Beijos

      Eliminar